Fontes históricas

Em 1954, um pequeno grupo de amigos, os casais Schmidt, Mahle, Berkhout e Bromberg, que se reuniam regularmente para estudar obras pedagógicas de R. Steiner, preocupados com a idéia de qual poderia ser a contribuição da Antroposofia para o Brasil e para um mundo melhor, resolveram fundar uma escola Waldorf, pois a resposta evidente à sua preocupação era que um mundo melhor pressupõe homens melhores.

Assim, em 27 de fevereiro de l956, à Rua Albuquerque Lins, bairro de Higienópolis, em São Paulo, começa a primeira Escola Waldorf no Brasil, integrada à realidade brasileira com a grande tarefa de fundamentar seu trabalho na imagem espiritual do Homem e nos ideais humanos inspiradores das demais escolas da Europa.

O casal Karl e Ida Ulrich, professores na Escola Waldorf de Pforzheim, Alemanha, foi convidado para ser fundador da escola, o que lhes significou não só lecionar mas, também, preparar professores para lecionarem a Pedagogia Waldorf.

A escola começou com um grupo de jardim de infância e um primário, no total de 28 alunos. O primário logo foi reconhecido como escola experimental e assim que foram completadas as quatro séries iniciais, o interesse dos pais pela pedagogia levou à decisão de se implantar o ginásio.

Graças à generosidade dos fundadores, a escola pôde mudar-se para uma belíssima propriedade rodeada de bosques e jardins, no Alto da Boa Vista (Santo Amaro).

Em 1979, o ensino fundamental da Escola Waldorf Rudolf Steiner foi autorizado a funcionar com a duração de 9 anos e a contar com o acompanhamento do Professor de Classe, do 1° ao 8° ano. Até então, era necessário solicitar eqüivalência de estudos para os alunos que concluíam o 9° ano.

Durante os doze primeiros anos, a escola foi bilíngüe e o seu abrasileiramento realizou-se à medida que a Pedagogia Waldorf foi sendo assimilada por professores brasileiros e que professores estrangeiros conseguiram ligar-se ao espírito do povo brasileiro.

Com o crescente interesse dos pais pela continuidade da escola, foi possível, em l975, concluir-se a primeira classe do 2° grau.

Antes disso, porém, em 1970, atendendo à crescente necessidade de formação e aprimoramento na Pedagogia Waldorf, nasceu o primeiro Seminário de Pedagogia Waldorf no Brasil. Esse Seminário foi fundado pelo casal Rudolf e Mariane Lanz.

Hoje o Seminário tornou-se um Centro de Formação de Professores que funciona como Escola Normal, autorizado pelo Parecer CEE n° 576/97 e pela Portaria da Dirigente Regional da 17ª Delegacia de Ensino da Capital , que possibilitaram a sua instalação e funcionamento.

A Escola Waldorf Rudolf Steiner chegou a um tal crescimento, que surgiu a necessidade da fundação de mais uma escola Waldorf. Assim, em 1978, foi fundado o Colégio Micael, em São Paulo, próximo a Cotia.

A partir daí, muitos outros movimentos aconteceram, surgindo então vários jardins de infância e outras escolas no Estado de São Paulo e em outros estados.

 

Expansão do Movimento Waldorf pelo Brasil

O movimento pedagógico Waldorf expandiu-se por todo o Brasil, sendo que atualmente temos a seguinte distribuição:

MAPA BRASIL

 

   Região                                 Escolas                 Alunos
Região Sudeste                           63                       7.354
Região Sul                                  11                        864
Região Centro-Oeste                    07                       626
Região Nordeste                          13                       732
Total Brasil                                 95                      9.726

A Federação de Escolas Waldorf do Brasil (FEWB) aponta que, além das escolas oficialmente listadas nessa relação, há inúmeras instituições escolares que adotam elementos da pedagogia Waldorf em suas práticas pedagógicas, sendo simpatizantes dessa linha pedagógica e utilizando-a de forma aberta e eclética.

Vale salientar que a Pedagogia Waldorf sustenta o desenvolvimento de diversos projetos sociais. Em São Paulo, a Associação Comunitária Monte Azul, com núcleos de atuação nos bairros Jardim Monte Azul (Núcleo Monte Azul), Jardim Ângela (Horizonte Azul) e Peinha (extremo sul da cidade de São Paulo), atende uma população economicamente desfavorecida proporcionando ações nas áreas de:

  • educação (creche, contraturno escolar, oficinas profissionalizantes para jovens; educação infantil e Escola de Resilência);
  • saúde (ambulatório médico-terapêutico e atendimento materno e infantil na casa de parto Casa Ângela);
  • Centro Terapêutico para inclusões de deficientes mentais ligado à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social;
  • cultura (escola de música; projetos culturais: teatro, saraus, espetáculos);
  • meio ambiente (horta e pomar, reciclagem) ;
  • Central de Oportunidades, com encaminhamento de jovens para o trabalho (Menor Aprendiz).

Em Salvador, a Associação Educacional Salvador trabalha em busca desse mesmo atendimento a crianças moradoras da comunidade local.

O movimento pedagógico Waldorf conta também com duas experiências bem sucedidas na rede pública, onde a pedagogia Waldorf é praticada: Escola Municipal Cecília Meireles e Escola Municipal Vale de Luz (ambas no Município de Nova Friburgo, RJ), e Escola Comunitária Municipal Araucária (Camanducaia, MG). No dia 20 de setembro de 2014 foi inaugurada mais uma escola pública Waldorf em Minas Gerais, no município de Ubá.

 

Bibliografia:

Texto extraído de: PROPOSTA EDUCACIONAL DAS ESCOLAS WALDORF NO BRASIL, FEWB, dezembro/1998

Autores: Christa M. Röpke, Eleonore Pollklaesner, Elizabeth Regina de Campos Cerri, Kazuko Sato, Luciano Jelen Filho, Shigueyo M. Mizoguchi